Informações em Ginecologia e Obstetrícia para a Mulher


  + Justificativa

  + Privacidade
  + Perguntas e respostas
  + Sobre o consultório
 

Anticoncepcionais > Endoceptivos
   

Dr. Einar Arthur Berger - Ginecologia da Terceira Idade :-

 

Endoceptivos são dispositivos intra-uterinos que contêm na sua haste um determinado hormônio que é liberado diariamente de forma muito débil, por mais de cinco (5) anos.

Esse dispositivo anticoncepcional leva o nome de endoceptivo por agir internamente no útero, liberando hormônio de forma continuada e pelo fato de não agir somente por sua presença na cavidade uterina como os DIUs de cobre o fazem.

Foi lançado no Brasil em Agosto/2000, mas já estava sendo usado na Suécia e na Finlândia desde o início da década de 90. Esses países possuem uma larga experiência no uso de DIUs ativos ou endoceptivos

É um agente terapêutico promissor, visto que, além da sua qualidade anticoncepcional, também possui atividade terapêutica coibindo o sangramento ou mesmo parando o sangramento exagerado causado pelas disfunções hormonais da mulher na pré menopausa e àquelas que fazem uso de hormônios na menopausa. Está reservado para as mulheres com prole definida, mas pode ser utilizado em nulíparas (sem filhos).

Sua eficácia, como anticoncepcional, atinge níveis semelhantes aos da ligadura tubária. No entanto, leva grande vantagem sobre a cirurgia por ser reversível. Uma outra característica do endoceptivo é a de diminuir, em muito, o fluxo menstrual, deixando a mulher moderna mais à vontade nas suas atividades profissionais.

Prós:

  • É muito bom método para controle da natalidade sendo sua eficácia semelhante ao método cirúrgicos;
  • Seu custo, quando computado os cinco anos do seu uso, apesar de ser maior quando comparado ao DIU é ainda inferior ao das pílulas;
  • Uma vez colocado, tem efeito protetor contínuo, despreocupando a usuária;
  • Libera quantidade regular de hormônio apenas no interior do útero, protegendo de forma direta o endométrio;
  • O sangramento é menor do que aquele causado pelo DIU convencional. Em 20% das acasiões suspende totalmente a menstruação.
  • As usuárias do Endoceptivo não possuem maior incidência de infecções;

Contras:

  • É um método semi-invasivo e que requer uma técnica especializada para sua inserção;
  • Poderá ser expulso durante uma menstruação (muito raro);
  • Nos primeiros 2 a 3 meses pode apresentar sangramento mínimo irregular;
  • Poderá suspender totalmente o fluxo menstrual o que, para algumas mulheres, poderá não agradar;
  • Na vigência de gravidez deverá ser, sempre que possível, removido (raríssimo);

 

 

 

 

Os endoceptivos se prestam para aquelas mulheres que:

  • Não desejam engravidar;
  • Não estão satisfeitas com o fluxo abundante causado pelo DIU convencional;
  • Possuem fluxo menstrual muito forte;
  • Possuam distúrbios menstruais do climatério que as impeçam de ter uma vida normal;
  • Utilizam estrógenos como TRH na menopausa e necessitam proteção endometrial;
  • Embora sem filhos, não se adaptaram a outros métodos;
     As principais indicações de um endoceptivo são:
  • Método contraceptivo.
  • Menorragia (sangramento excessivo).
  • Hiperplasia endometrial (crescimento exagerado do endométrio).
  • Na menopausa como coadjuvante da TRH (reposição hormonal).

















































Copyright 2004-2017 Einar Arthur Berger Todos os direitos reservados - - - Design by Ater.com.br